Tecnologia: O caminho para inovação e progresso do Brasil
Início ›  Sobre a Intel ›  Intel no Brasil ›
Educação: A emoção de construir o futuro
 
 
WCN
 
 
 
 
Introdução
 
Tecnologia leva conhecimento. Conhecimento abre portas. É por isso que a integração da tecnologia na educação é um passo crucial na preparação dos jovens para que possam crescer e prosperar na atual economia global baseada no conhecimento.

Desde sua fundação, a Intel tem mantido seu compromisso com a área de educação. Durante os últimos 7 anos, expandiu seus esforços investindo aproximadamente US$ 100 milhões por ano em programas educacionais. Esse compromisso se baseia na missão de investir não somente no negócio e indústria, mas no futuro dos jovens.

Por intermédio das iniciativas da Intel, a empresa contribui para que estudantes desenvolvam as habilidades requeridas para atuar nos dias de hoje.
 
 
Intel® Educação para o Futuro: Os números falam por si
 
O presidente do conselho da Intel, Craig Barrett, anunciou no início de 2006, em Davos, na Suíça, os planos da companhia para capacitar, nos próximos cinco anos, mais 10 milhões de professores das nações em desenvolvimento, na utilização da tecnologia como forma de melhorar ainda mais o processo de aprendizado. O plano amplia de forma significativa a iniciativa Intel® Educação para o Futuro, que desde 2000, já capacitou mais de três milhões de professores em 35 países.

No Brasil, o programa Intel® Educação para o Futuro ajudou mais de 76 mil professores brasileiros a tirarem o melhor proveito da tecnologia em sala de aula, em benefício de seus alunos, por todos os 27 estados do Brasil afora. Até mesmo o Ministério da Educação reconheceu o valor da iniciativa da Intel. A Fundação Bradesco, que atende mais de 107 mil alunos em 40 escolas de todo o País, é a principal responsável pela formação dos professores multiplicadores dessa metodologia.

Escolas e multiplicadores do sistema SENAI atuam na qualificação de professores com a Intel. A participação do SENAI permite a utilização de uma grande estrutura educacional e a superação dos objetivos iniciais.

 
 
Programa Intel® ISEF: Impulsionar o avanço da Ciência
 
A exemplo do que faz nos Estados Unidos e em outros países, a Intel patrocina feiras de Ciências no Brasil, como a Febrace (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, Criatividade e Inovação) e a Mostratec (Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia).

A Febrace é uma feira anual de Ciências e Engenharia que apresenta projetos de estudantes das escolas públicas e particulares de todo o Brasil. A Mostratec é realizada anualmente pela Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, instituição pública estadual, em Novo Hamburgo (RS), e reúne anualmente cerca de 150 projetos em 13 diferentes categorias do Brasil e de mais de uma dezena de países convidados. Os vencedores dessas competições participam da Intel® ISEF (Feira Internacional de Ciência e Engenharia), que se realiza anualmente nos Estados Unidos, sempre no mês de maio, desde 1950. É a maior feira mundial para estudantes que ainda não chegaram ao nível universitário. Os estudantes brasileiros têm a oportunidade de participar da feira, ao lado de delegações de outros quarenta países.

 
 
Programa Intel® Aprender: Tecnologia e trabalho em equipe
 
Depois de experiências bem-sucedidas na China, índia, Israel e México, onde 55 mil jovens foram treinados, o programa de inclusão digital Intel® Aprender chegou também ao Brasil. Com ele, jovens de comunidades carentes, com idades de 10 a 18 anos, aprendem tecnologia e como ela pode ajudar a desenvolver habilidades necessárias para atuar no mercado de trabalho competitivo de hoje. O foco do programa é o desenvolvimento do pensamento crítico e o trabalho colaborativo. A metodologia escolhida é a educação informal, fora do horário das aulas. O programa envolve a aprendizagem prática em um centro de tecnologia da própria comunidade. No Brasil, em 2005, mais de 3.000 jovens foram capacitados em 32 centros comunitários. Para 2006, o programa será expandido para 80 centros e atingirá cerca de 12 mil jovens.

 
 
Programa Intel® Educação Superior: Jovens técnicos talentosos
 
O programa foca na inovação avançada nas áreas-chave da tecnologia e no desenvolvimento de técnicos para atender a crescente demanda mundial de trabalhadores qualificados. A participação da Intel no ensino superior abrange o currículo e a pesquisa de mais de 100 universidades em mais de 30 países.

 
 
WCN: Criatividade voltada ao mercado
 
O objetivo da iniciativa WCN (Wireless Competence Network – Rede de Competência em Tecnologias sem Fio) é a criação de tecnologia para o mercado, além do estabelecimento de um inter-relacionamento entre a universidade e a indústria. Com o apoio da Intel, instituições de ensino superior como a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), o departamento de Computação da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Bauru, a Universidade Federal de Pernambuco e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) já possuem centros de pesquisas para desenvolvimento de novas tecnologias sem fio no Brasil. Com os laboratórios, estudantes e pesquisadores têm acesso à infra-estrutura para desenvolvimento de aplicações multimídia para sistemas sem fio, como PDAs (Assistentes Digitais Pessoais) e telefones celulares.

Uma das iniciativas coordenadas pelo WCN é o projeto "Quickframe", uma nova plataforma de desenvolvimento de software para dispositivos móveis, que está sendo criada em colaboração com a Unicamp, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e a Compera, empresa líder no mercado brasileiro de Internet móvel.

Outra importante iniciativa do WCN é a plataforma para jogos móveis multiusuário, que está sendo desenvolvida em colaboração com o Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (CESAR); a Meantime, empresa brasileira pioneira no desenvolvimento de jogos para celular na América Latina; a Universidade Federal de Pernambuco e a Unicamp. Os dois projetos foram aprovados pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

 
‹ Anterior

 
Próximo ›

Para o começo da página


‹ Voltar à página inicial Intel no Brasil