Tecnologia: O caminho para inovação e progresso do Brasil
Início ›  Sobre a Intel ›  Intel no Brasil ›
História
 
 
 
 
 
Introdução
 
Uma das mais recentes novidades anunciada pela Intel é a tecnologia de fabricação de 45 nanômetros, que permitirá aos chips consumirem cinco vezes menos energia do que os atuais. Essa tecnologia garantirá uma melhora significativa na vida útil das baterias e ampliará as oportunidades de criar plataformas menores e mais potentes.

Hoje, a Intel fabrica microprocessadores com uma camada de silício de apenas 65 nanômetros (milionésimos de milímetro) de espessura. Mas prevê que a tecnologia de 45 nanômetros seja adotada em 2007; 32 nanômetros, em 2009 e 22 nanômetros, em 2011. Essas tecnologias farão com que a Lei de Moore continue válida por mais dez a vinte anos.

Para chegar a essa conquista, a Intel possui uma consistente trajetória de quatro décadas na transformação de seus saltos tecnológicos em benefícios para a vida das pessoas, ao longo da sua história de sucesso, com grandes viradas.

Tudo começou com a Lei de Moore. Nos domínios da microeletrônica, nenhuma previsão ficou tão conhecida (e perdura tanto) quanto ela.

A Lei de Moore foi concebida em 1965, por Gordon Moore, um dos fundadores da Intel. Ele previu que a densidade dos transistores nos circuitos integrados dobraria a cada dois anos. Hoje em dia, a Intel busca entender como as pessoas usam a tecnologia atualmente e direciona o poder da Lei de Moore para entregar capacidades crescentes para que os usuários finais – em casa, no trabalho ou onde quer que estejam – obtenham notáveis benefícios e ampla utilidade da tecnologia.
 
 
Multicore: Revolução no lazer e na conectividade
 
Quem não quer um PC que faça mais coisas ao mesmo tempo, como rodar jogos com muitos gráficos ou programas que executam diferentes cálculos numéricos, durante o download de músicas ou a execução de programas de varredura de vírus, em segundo plano? E que ainda economize energia e ofereça respostas mais rápidas?

Tudo isso é possível nesse ano de 2006, com a chegada do processador Intel® Core™ Duo ao desktop, ao servidor e aos dispositivos móveis. A principal vantagem é o desempenho. Mas para a Intel, isso é apenas o começo. A empresa apresentou o conceito de multicore, que vai multiplicar ainda mais o poder de processamento à disposição dos consumidores no mundo inteiro, além de validar a Lei de Moore.

Os pesquisadores da Intel conseguiram fazer com que um único processador possua dois ou mais núcleos. Essa é a tecnologia multicore. A grande vantagem é que, com ela, os desenvolvedores podem tirar vantagem de recursos e de ferramentas existentes para fornecer benefícios inovadores para os usuários finais.

A mudança da arquitetura dos processadores para evitar aquecimento exagerado é outra área em que a Intel desenvolve pesquisas e os resultados já começam a aparecer.

A Intel Corporation desenvolveu tecnologias que permitiram a revolução da computação e da Internet. Fundada em 1968, para construir semicondutores, a Intel lançou o primeiro microprocessador em 1971. Hoje, a empresa desenvolve tecnologias, produtos e iniciativas para o avanço na maneira das pessoas trabalharem e viverem, em todo o mundo.

Funcionários em 2006: 100.000 em 48 países

Faturamento em 2005: US$ 38.8 bilhões

Investimentos em pesquisa e desenvolvimento:
De 2001 a 2005, a Intel investiu mais de US$ 47 bilhões em pesquisa e desenvolvimento e em novas capacidades de produção. Tais investimentos diferenciam a companhia em seu segmento e representam os alicerces para o crescimento futuro.

 
‹ Anterior

 
Próximo ›

Para o comeo da pgina


‹ Voltar à página inicial Intel no Brasil